11.JPG

Opções de Terapia: Local e Sistêmica

A abordagem terapêutica adotada pela equipe médica leva em consideração vários fatores pessoais da paciente, como idade, hábitos de vida, estado clínico geral, tipo e estágio em que se encontra o câncer de mama. Mas vale lembrar que uma coisa é igual para todos os casos: a importância do diagnóstico precoce.

Podemos classificar o tratamento do câncer de mama em duas opções terapêuticas: 

 

  • Local 

Neste caso, são adotados os métodos cirúrgicos e radioterápicos para conter e tratar o tumor de forma isolada, sem afetar o resto do organismo.

Cirurgia: é a modalidade de tratamento mais antiga. Quando o tumor encontra-se em estágio inicial e em condições favoráveis para a retirada, é a opção mais efetiva;

Radioterapia: faz uso da radiação ionizante e é muito utilizada em tumores localizados, em que não há a necessidade de retirada de parte da mama, ou em tumores que não podem ser retirados totalmente por cirurgia. A radioterapia também é aplicada nos casos em que se quer diminuir o risco de recidiva do câncer.

 

  • Sistêmica

 

Este tipo de tratamento faz uso de medicamentos administrados por via oral ou aplicados diretamente na corrente sanguínea e agem nas células cancerígenas.

 

Quimioterapia: o objetivo da quimioterapia é eliminar, controlar e inibir o crescimento das células doentes. Nesta terapia, são utilizados medicamentos orais e/ou intravenosos;

Terapia Hormonal: impede a ação dos hormônios nas células cancerígenas da mama;

Terapia-alvo (anticorpos monoclonais): são drogas anti-cancerígenas relativamente novas e que têm como alvo uma determinada proteína ou mecanismo de divisão celular presente, preferencialmente, nas células tumorais.

No Site você encontrará dicas para sua saúde mental, artigos científicos  e noticias, tudo relacionado ao diagnóstico, a psicologia prática e a nutrição assistencial aos pacientes.